Artigos, Xamanismo: Sabedorias Ancestrais

A Medicina da Abelha: A Sabedoria Ancestral da Xamã das Flores

A Medicina da abelha é a medicina da comunicação, aquela que ensina a nos comunicarmos e nos organizarmos de forma harmônica, equilibrada e eficaz, principalmente em grupo. A comunicação entre as abelhas, assim como tudo o que é produzido por elas – a cera, o mel, o pólen, o própolis, a geléia real – possuem uma geometria harmônica, uma medicina em ressonância à geometria sagrada da vida planetária. Além de excelentes gestoras e operárias, são fabulosas alquimistas.

Tendo em vista o crescente número de notícias sobre o desaparecimento das abelhas em diferentes regiões do planeta, seja pelo uso excessivo de pesticidas ou pela crescente radiação eletromagnética, seja por motivos que fogem a nossa compreensão, reflitamos sobre a profunda importância  do seu papel como polinizadora e participante direta da criação da vida dentro de inúmeros e diferentes ecossistemas.

Sejamos os semeadores no agora e os jardineiros do amanhã, construindo e contribuindo com a criação de espaços harmônicos dentro e fora de nós, em nossas casas e locais de trabalho, com nossos familiares, conhecidos e amigos, para que as abelhas e sua consciência grupo venham até nós e nos relembrem sobre a nossa sabedoria interior.

Semeie e crie um jardim físico, conecte-se com a terra, tenha flores em casa, mas também semeie e crie o seu próprio jardim interior, trilhe o caminho do aprendiz para tornar-se mestre de si. Invoque a consciência grupo e a medicina da abelha em suas meditações para auxiliar você na criação e no resgate do seu jardim interior. Elas são mestres nesse ensinamento porque primeiro aprenderam a ser aprendizes, por isso são consideradas as Xamãs das flores, detentoras das sabedorias e dos códigos da geometria sagrada do planeta.  Namaste! ❤

“Uma flor branca desabrocha num jardim mágico. Essa adorável flor branca é o coração da alma humana. A Abelha está associada às escolas de mistérios e sociedades de soberania matriarcal. Em geral, a audaciosa Abelha é simbolizada por Vênus. O valor mágico do número 6 é associado às abelhas porque as operárias virgens, ao construir o favo de mel, criam hexagramas. As abelhas trabalham incansavelmente pelo bem comum. Sabem que o caminho das próprias vidas ruma para um nobre propósito.

A Abelha conhece várias propriedades naturais da geometria sagrada e usa esse conhecimento de maneiras notáveis. Esse grande matemático usa a geometria sagrada em padrões de voo e na criação do favo de mel. A Abelha é um operário inspirado e simboliza a busca pela doçura espiritual. Ela procura as flores perfumadas, assim como os aprendizes procuram a verdade espiritual.

Há muito tempo, antes de uma pessoa se tornar aprendiz de qualquer doutrina espiritual, ela aprendia primeiro a reunir-se com as abelhas. Ouvimos e aprendemos o seu mantra de zumbidos. Escutamos o que elas têm a dizer sobre o caminho do aprendiz. Se o conselho da Abelha for sim, um som doce, como o som que a Abelha faz, despertará no fundo do seu íntimo. É um som alegre, e os lábios, o coração, a mente, o corpo e a alma sorriem.

A Abelha é a xamã da flor. A Abelha cumpre as suas tarefas singulares de acordo com uma multiplicidade de seres. A Abelha ensina a cooperação com os outros e possui uma compreensão inata do bem para toda a tribo. Por essa e outras razões, as abelhas personificam a essência do espirito do aprendizado. Assim como um aprendiz procura o mel espiritual, a Abelha recolhe e compartilha a doçura de maneira similar.

O mundo está mudando. As abelhas e borboletas negligenciam o desabrochar. A Abelha pede que você encontre o doce perfume da rosa mística. Aprendizado significa procura. Aprendizado significa treinamento interior, espiritual. Significa aprender o caminho. Primeiro, você deve encontrar o mestre espiritual interior. O seu verdadeiro mestre espiritual o acolherá com bondade e amor – um amor que incendeia o universo interior. O ensinamento da Abelha é o coração aberto. É o segredo oculto na flor das flores. É a boa estrada para o bom lugar – o lugar do eu desperto, livre da ignorância.”

Fonte Complementar: “2013 Oracle” – Trecho da obra de David Carson e Nina Sammons 

Luciane Strähuber – Educadora da Terapêutica Integrada

Deixe um comentário com amor!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.